Unindo produção, pesquisa e industrialização, Cooperativa Agrária Agroindustrial institui cadeia produtiva completa

Inaugurado em 1952, moinho de trigo é um dos principais negócios, com produção de mais de 100 mil toneladas de trigo processado em 2018

 

 

Localizada no distrito de Entre Rios, em Guarapuava, a Cooperativa Agrária Agroindustrial completa, em 2019, 68 anos de fundação, destacando-se pelo feito de instituir, a partir da agricultura, uma cadeia produtiva completa: desde a pesquisa agropecuária e produção agrícola de seus cooperados, até a industrialização e agregação de valor aos seus produtos.

A primeira indústria da Agrária foi o moinho de trigo, inaugurado em 1952, e que permanece um dos principais negócios da cooperativa. Segundo o gerente de negócios Farinha, Nutrição Animal e Grits e Flakes da Agrária, André Spitzner, a produção da Agrária Farinhas em 2018 foi de mais de 100 mil toneladas de farinha para todos os segmentos, como biscoitos, panificação e massas. A indústria também atende ao mercado de varejo com as marcas Especialíssima e Bom Prato.

As demais unidades de negócios contemplam a Agrária Malte (maior maltaria comercial da América Latina, que atende 30% do mercado brasileiro), Agrária Óleo e Farelo (com produção de óleo de soja degomado e farelo de soja), Agrária Sementes (atuante na produção e comercialização de sementes de soja, trigo, cevada e aveia), Agrária Nutrição Animal (que produz 80 tipos de rações) e Agrária Grits e Flakes , a mais nova indústria da cooperativa, inaugurada em 2014, que produz derivados de milho para o mercado cervejeiro, além de creme e fubá para a indústria alimentícia.

Na produção agrícola de seus cooperados em 2018, as áreas cultivadas nas culturas de verão (em especial soja e milho) chegaram a 110 mil hectares e a 50 mil hectares nas culturas de inverno (principalmente trigo e cevada).

Em 2017, a Agrária assumiu o controle acionário da BMS – Rewir S.A, empresa de gestão comercial sediada em Montevidéu, Uruguai – registrada para operar comercialmente com todos os produtos e derivados agrícolas e pecuários – e que atua em toda a América do Sul, América Central e Caribe.

 

Investimento em pesquisa

Entre os vários diferenciais da cooperativa, a FAPA (Fundação Agrária de Pesquisa Agropecuária) foi instituída para gerar e aplicar tecnologias que atendam à demanda de produtividade do cooperado, bem como à qualidade requerida pelas unidades de negócios e clientes.

Os pesquisadores atuam nas áreas de Soja, Milho, Fitopatologia, Cevada, Feijão, Herbologia, Mecanização Agrícola, Trigo, Aveia, Oleaginosas, Manejo e Fertilidade de Solos e Entomologia Agrícola.

André Spitzner frisa o compromisso da cooperativa com a sustentabilidade e as ações socioculturais e de apoio à comunidade. “Nossa unidade florestal tem cerca 4.500 hectares de reflorestamento e outros 6.500 hectares de florestas nativas preservadas, com o objetivo de gerar energia para as indústrias e unidades de cereais”, esclarece. “A Agrária é reconhecida também pelo investimento em educação, na preservação da cultura e na saúde e bem-estar de toda a comunidade onde está instalada, investindo no Colégio Imperatriz Dona Leopoldina, na Fundação Cultural Suábio-Brasileira e no Hospital e Farmácia Semmelweis”, completa o gerente.

Raio-X Agrária

Faturamento global (2018): R$ 3,5 bilhões*
Cooperados: 630*
Colaboradores: 1.450*
Principais culturas: soja, milho e feijão (verão) e cevada, trigo, aveia, triticale e canola (inverno).
Área cultivada (culturas de verão): 110.000 hectares
Área cultivada (culturas de inverno): 50.000 hectares
*Números do Relatório Anual 2018.

 

Por Cristina Luchini – Jornalista

http://sinditrigopr.com.br