Desenvolver o trigo ideal para atender a demanda da indústria moageira e, consequentemente, o desejo do consumidor final, passando pelas necessidades dos produtores das diferentes regiões do país, é o árduo trabalho dos pesquisadores, sejam de empresas públicas ou privadas.

Praticamente, todos os anos, chegam novas sementes no mercado, direcionadas para os vários segmentos: pão, biscoitos, massas, branqueador, melhorador etc. O fato, é que há uma busca constante por aprimoramento das cultivares e produtividade no campo.

Na Embrapa-Trigo, sediada em Passo Fundo, cerca de 60% da força de trabalho do programa de Melhoramento é direcionada para atender a demanda de trigo tipo pão, o mais utilizado no pais . Osvaldo Vasconcellos Vieira, chefe da unidade, destaca que o foco é atender a indústria moageira e por isso também os pesquisadores da Embrapa estão sempre trabalhando em outras frentes, como o trigo mais adequado para produção de biscoitos (o Brasil vem se sobressaindo nesse segmento); os tipos mescla, com os quais a Embrapa trabalha com cultivares com grau de proteína elevado e que podem também ser usado para ração; tipo melhorador; e o branqueador.

Para este ano, duas novas cultivares desenvolvidas pela Embrapa já começam a chegar no campo: a BRS Atobá, direcionado para o Paraná, São Paulo e Mato Grosso do Sul; e o BRS Bela Jóia, direcionado para o Rio Grande do Sul e regiões frias do Paraná. Ambos são trigo tipo pão.

Vieira observa que o Brasil produz muitas cultivares, mas que deveria haver um mecanismo oficial para melhor avaliação e classificação dos tipos de trigo. “Seria uma maior segurança para o produtor e para a indústria moageira”, analisa.

Outras novidades

Entre os lançamentos deste ano, em recente evento realizado na região de Londrina, a Biotrigo também apresentou três novas cultivares: TBIO Duque, TBIO Capricho CL e TBIO Astro. Das três, a Duque já está disponível comercialmente. As outras duas estão em fase de reprodução de sementes.

Duque é tipo branqueador. Segundo Gabriel Piccoli Guarido, supervisor comercial da empresa, entre suas características estão maior nível de segurança contra a chuva em pré-colheita e tem boa tolerância à Brusone.

A cultivar Capricho possui, de acordo com o consultor, tecnologia Clearfield, sistema que introduziu a tolerância aos herbicidas do grupo das imidazolinonas, mais precisamente ao ingrediente ativo imazamoxi (Raptor 70DG®) no cereal. Já o Astro tem como diferencial a força de glúten e estabilidade de PH, informa.